a picture
a picture

Como desenvolver inteligência emocional no trabalho

Inteligência emocional, de Daniel Goleman, e Teoria das inteligências múltiplas, de Howard Gardner, são livros com temática superatual, apesar de já terem completado mais de duas décadas desde que foram lançados. O que os autores enxergaram como tendência lá nos anos 1990 hoje já é realidade e, no mundo corporativo, a cobrança por essa competência está cada vez mais alta.

Em linhas gerais, para ter inteligência emocional desenvolvida, o indivíduo precisa reconhecer e avaliar sentimentos (seus e dos outros), além de saber gerir bem essas emoções, sendo responsável pela própria motivação e por desenvolver bons relacionamentos interpessoais.

Esse conceito parece complexo e é. Quanto melhor o Quociente Emocional (QE), mais responsável você se torna pela relação com o outro. No dia a dia do trabalho, por exemplo, se você lida com pessoas com baixa inteligência emocional, a responsabilidade por contornar possíveis descontroles emocionais ou falta de empatia acaba sendo sua. Isso não seria um problema se essa competência ainda não fosse tão escassa nas organizações. E quem se vê sozinho levantando essa bandeira acaba sobrecarregado emocionalmente.

Para tornar esta discussão mais prática, listei 3 dicas para você aprimorar sua inteligência emocional e usar essa competência para melhorar a relação com você mesmo e com o mundo:

  • Invista em autoconhecimento
  • Pratique o controle
  • Tenha empatia

Fonte: HSM

TAGS:

VOLTAR AO TOPO